Pesquisar

Saúde

Aprenda a Viver com Dor Crônica

Compartilhe
dor crônica

Muitas pessoas estão tão acostumadas a viver com a dor crônica que não prestam mais atenção a elas. Passando para o estágio crônico, a dor perde suas funções protetoras e preventivas e se torna simplesmente um desagradável pano de fundo para a vida. Com isso surge o risco de que dores associadas a novas patologias que o paciente venha a desenvolver sejam facilmente ignoradas. Quando isso ocorre, geralmente o dano é percebido apenas quando o corpo está significativamente prejudicado. 

Mas como se livrar da dor crônica? A resposta a esta pergunta está na compreensão da natureza dessa síndrome perigosa e em uma abordagem integrada para resolver o problema.

O que é Síndrome da Dor Crônica

Associação Internacional para o Estudo da Dor define dor crônica como dor que dura pelo menos três meses. A ocorrência de dor crônica é mais frequentemente associada a um comprometimento das funções do sistema nervoso e patologias somáticas; no entanto, como uma doença independente, a síndrome da dor crônica se desenvolve com distúrbios da esfera psicoemocional.

Causas da Dor Crônica

O principal papel no aparecimento da dor crônica é desempenhado não por danos a quaisquer órgãos, mas por distúrbios patológicos na percepção e outros processos mentais relacionados. Eles podem ser acionados por eventos como:

  • lesões e operações;
  • ataque cardíaco ou derrame;
  • situações altamente estressantes.

Muitas vezes, a dor crônica é acompanhada por sinais de depressão:

  • distúrbios do sono;
  • fadiga em excesso;
  • déficit de atenção;
  • diminuição da auto-estima;
  • sensação de desespero.

O inverso também é verdadeiro: mais da metade dos pacientes com quadro de depressão clínica são propensos à dor crônica. Estes são processos patológicos de apoio mútuo que formam um círculo vicioso. A princípio, a dor pode se desenvolver como uma distração após um trauma psicológico, mas depois se torna um fator deprimente adicional que apóia a depressão. O resultado é uma forte conexão entre dor e depressão, que também é reforçada pelos efeitos dos espasmos musculares.

Cãibras musculares ocorrem no contexto do estresse em pessoas que levam um estilo de vida sedentário. Eles causam dor, o que pode provocar ou agravar uma síndrome de dor crônica existente.

Assim, com dor crônica diagnosticada, é necessária terapia complexa com atenção obrigatória aos sintomas de depressão.

Tratamento da Dor Crônica

Antes de tudo, deve-se notar que o diagnóstico de “síndrome da dor crônica” é feito por exclusão após exame por médicos de diferentes especialidades. Há um grande número de doenças nas quais dores semelhantes podem ocorrer. Por exemplo, dores crônicas nas costas podem estar associadas a doenças graves do sistema músculo-esquelético. A síndrome da dor pélvica crônica é diagnosticada após exames de especialistas como urologista, ginecologista, gastroenterologista, neurologista e ortopedista. Na ausência de doenças identificadas e baixa efetividade dos analgésicos, deve-se proceder ao tratamento da síndrome da dor crônica como uma doença independente.

A terapia para a síndrome da dor crônica diagnosticada consiste no seguinte conjunto de medidas:

  • anestesia medicamentosa;
  • medidas para restaurar a mobilidade e aliviar a tensão muscular (terapia com exercícios, fisioterapia, massagem, natação, etc.);
  • restauração de processos químicos no cérebro com a ajuda de antidepressivos;
  • estimular a motivação do paciente para a recuperação.

Como analgésicos e antidepressivos têm várias contra-indicações e efeitos colaterais, o tratamento da síndrome da dor crônica sem acompanhamento médico é inaceitável e perigoso. Tomar qualquer medicamento prescrito requer supervisão médica constante, para que, se necessário, você possa alterar a dose ou mudar de medicamento. Certifique-se de seguir a o cronograma estipulado para tomar os medicamentos. 

Especialmente importante é o alívio da dor noturna: uma noite mal-dormida tornará ainda mais difícil essa condição. Caso tenha dores durante a noite, procure logo aconselhamento médico e explore alternativas.

Além disso, no tratamento da dor crônica, qualquer situação estressante deve ser evitada. Uma rotina saudável deve ser observada: comer corretamente, estar ao ar livre, movimentar-se mais. O sedentarismo atrofia os músculos e aumenta as dores somáticas, e mais: exacerba os sintomas da depressão. Vale a pena fazer um esforço e praticar uma atividade física leve e sem impacto, como natação, yoga ou tai chi chuan.

Observa-se que os melhores resultados no tratamento da dor crônica são alcançados em centros de tratamento especializados como spas e clínicas. No entanto nada impede que medidas comecem a ser tomadas em casa.

Como Aliviar a Dor?

Quando o corpo se adapta à dor crônica, a mobilidade física diminui, a qualidade e o ritmo da vida mudam, o estado emocional se deteriora, o que gradualmente leva à depressão. Pacientes com dor crônica precisam de tratamento psicológico, apoio moral e é recomendável ter o acompanhamento de um psicólogo. Tudo isso pode ser fornecido por um centro de reabilitação especializado, onde os pacientes recebem vários cursos de reabilitação após sofrerem lesões e doenças mentais e físicas. O tratamento da síndrome da dor combina efetivamente métodos de reabilitação motora e psicológica.

Um fator importante de sucesso é a atmosfera criada pela equipe do centro. Quartos confortáveis semelhantes a um hotel, culinária caseira saudável, programas culturais especiais. A localização do centro em uma área ecologicamente segura ajuda a manter o bom humor dos pacientes e a motivá-los a se recuperar. A dor crônica certamente diminuirá se você fizer o esforço correto.

Tags:
Diego Rubel, Psicólogo

CRP 08/13.666. Psicólogo clínico com um longo histórico pessoal de tratamento da dor: tendinite do joelho, síndrome de ATM e, mais recentemente, alguma dor no ombro que ainda não tive a chance de descobrir o que é! Estudante de ioga há muito tempo, recentemente estive pesquisando os mecanismos de alívio da dor e hábitos para uma vida mais saudável e gratificante.

  • 1

Você Também Pode Gostar

Deixe seu Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *