Pesquisar

Maternidade

Como Aumentar Muito o Leite Materno

Compartilhe
leite materno Amamentar é muito saudável e importante, mas tem seus desafios. Foto: freepik

Uma preocupação muito comum das mães, durante ou depois da gravidez, é saber se terão leite suficiente para dar aos seus bebês. Existe ainda muita desinformação sobre o assunto, e normalmente pouco se sabe a respeito de questões fundamentais sobre como aumentar o leite materno.

Esse pode ser o seu caso, e se for é necessário buscar conhecimento, especialmente se é mãe ou está para ser. A seguir apresentaremos alguns dados fundamentais, como os benefícios desse alimento, formas de aumentar a produção e também maneiras de congelar e doar.

Se quer saber tudo isso e muito mais sobre o leite materno você veio ao lugar certo: confira a seguir dicas importantes e orientações fundamentais que não podem faltar na hora de amamentar.

Conheça Os Benefícios Do Leite Materno

São vários os benefícios do leite materno, e provavelmente alguns dos que vamos listar abaixo você já deve ter ouvido falar. A questão é que existem muitos ganhos, tanto físicos quanto psicológicos, em um bebê ter acesso a esse alimento. Então não é por acaso que tantos médicos recomendam! Porém existem também grandes desafios inerentes ao processo de amamentação, mas vale a pena ser persistente.

Dê uma olhada, portanto, na série de vantagens desse tipo de alimentação sobre a alimentação artificial. Acredite, muita coisa aqui vai te surpreender (e para ter uma visão mais completa sobre o tema clique já aqui). Vamos lá:

Nutrição do Bebê

A produção do leite materno acontece de uma forma bem equilibrada, havendo nele componentes variados como carboidratos, água, proteínas e gorduras nos níveis que são fundamentais para a saúde e o desenvolvimento do pequeno ou pequena.

A indicação dada pelos especialistas é que todo o leite de um peito seja tomado pelo bebê antes de passar para o outro, porque aí ele vai absorver os nutrientes fundamentais produzidos por cada seio de uma vez, o que é ótimo para ele (e também para a mamãe).

Melhor Digestão

A digestão de um bebê raramente é simples, e uma das vantagens desse alimento sobre os demais é que ele é mais facilmente digerido nessa fase delicada da vida.

Não é por acaso que os nutrientes são mais facilmente absorvidos durante as mamadas! A simplicidade da digestão do leite materno pelo estômago dos nenéns explica justamente essa vantagem, que não se dá nas fórmulas infntis porque o processo para digerir como um todo é bem mais lento e complexo.

Redução das Cólicas

Outro inegável trunfo desse alimento tem a ver com o fato de que por ser facilmente digerido ele causa menos gases e cólicas intestinais nos bebês.

Como se não bastasse, esse líquido possui elementos que protegem o sistema digestivo dos pequenos e pequenas, e ainda reparam o intestino delicado dos recém-nascidos, que o tempo todo está sofrendo com as intempéries do desenvolvimento.

Prevenção de Anemias

O leite materno também possui outro excelente ganho, que tem a ver com o fato dele conter uma quantidade considerável de ferro, que é absorvida facilmente pelo intestino do bebê.

Outro ponto forte é que esse alimento também conta com enormes quantidades de vitamina b12 e ácido fólico, que junto ao ferro são primordiais para a produção dos glóbulos vermelhos.

Caso você não saiba, os glóbulos vermelhos são fundamentais para transportar oxigênio pelo sangue, e sem isso qualquer neném (e na verdade, qualquer ser humano) corre o risco de desenvolver anemia.

Evita Diarreias

Esse alimento tem outro enorme poder, que vem da enorme quantidade de bactérias, essas presentes nos intestinos dos recém-nascidos e que compõem a sua flora intestinal.

Isso faz com que problemas na área sejam evitados, o que diminui consideravelmente a ocorrência de diarreias e outros perigos comuns, que podem levar um bebê inclusive a desidratar.

Fortalecimento da Imunidade

Nem todo mundo sabe, mas o alimento proveniente da mãe para o bebê é riquíssimo em anticorpos por ela produzidos. Sendo assim, além das vacinas essa é a maneira mais funcional para se defender um neném, especialmente quando ele acabou de chegar ao mundo.

Com o leite materno a criança fica mais protegida de gripes, de asmas, de pneumonias, de dores de ouvido e outros problemas, principalmente os relacionados ao intestino, como já comentamos.

Dessa maneira, uma série de doenças graves podem ser evitadas nos primeiros meses de vida do pequeno ou pequena. Caso ainda assim o bebê fique doente, normalmente o corpo da mulher produz leite adequado para ajudar na sua recuperação, o que é primordial.

Desenvolvimento do Sistema Nervoso

Outro ponto forte desse alimento está relacionado ao fato de que o leite materno é cheio de DHA, que é uma gordura ótima para formar os neurônios. Ela ajuda a fortalecer a memória do bebê, o seu aprendizado e a sua capacidade de se manter atento.

Vale dizer que o DHA está no ômega 3, nutriente primordial para a prevenção de uma série de doenças neurológicas bastante comuns, como o Alzheimer, o Parkinson e a demência, o que torna o leite materno ainda mais especial.

Quer saber mais sobre as vitaminas que importantes para as mães? Confira nosso artigo sobre vitaminas aqui.

Prevenção da Obesidade

Outro ganho de se apostar nesse tipo de alimento é que ele é anti-inflamatório, o que faz com que os bebês que mamam na primeira infância tenham menos chance de desenvolver doenças relacionadas a esse mal. Entre essas doenças estão as cardiopatias, a diabetes e claro, a obesidade.

Pronto para o Consumo Sempre

Mais um ganho de se contar com o leite materno tem a ver com o fato dele estar sempre pronto para ser consumido, estando na temperatura certa e livre de contaminação.

Leites artificiais precisam ser preparados e esse preparo muitas vezes tem uma série de riscos envolvidos, que podem deixar a saúde do bebê mais vulnerável.

Prevenção de Alergias

Recém-nascidos que são amamentados com leite da mãe costumam ter menos desenvolvimento de alergias com alimentos variados, como o leite, à soja, aos peixes, ao ovo, aos mariscos e ao amendoim.

Não que o bebê tomar leite artificial vá colocá-lo nesse risco, mas pode acontecer e é importante se possível ter uma proteção usá-la ao máximo que puder.

Como Aumentar o Leite Materno

Embora esse alimento tenha tantos ganhos e vantagens, a verdade é que nem sempre é fácil oferecê-lo. Na verdade, muitas mães sofrem fortemente com a falta de leite materno para os seus filhos, e isso em muitos casos está diretamente relacionado às questões de produção.

Produzir mais leite não é simples, e se você está encontrando desafios para aumentar leite materno temos várias dicas para te dar, que talvez simplifiquem consideravelmente essa missão.

Não vai ser fácil ainda assim, e amamentar vai continuar sendo muito complexo, mas vamos listar abaixo algumas dicas que colaboram para esse processo, e para se aprofundar nelas você pode clicar aqui.

Rotinas Benéficas

  • Analise a pega do bebê – O jeito de mamar faz toda a diferença para aumentar leite materno. De verdade! O certo, aliás, é que o bebê consiga abocanhar a aréola toda da mãe, porque se ele ficar só no bico vai chupar, não sugar o leite.

A consequência disso é que a produção vai cair, e o pior é que o seio vai acabar ficando cada vez mais machucado, tornando o processo de amamentação cada vez mais sofrido do que já é;

  • Ofereça o peito logo após o parto – Muitas vezes a mãe não dá o seio para o bebê assim que ele nasce, e isso é um erro. O motivo é simples: a atenção do pequeno ou pequena nessa primeira hora de vida faz toda a diferença para que ele acerte na pega de cara. Se isso não rolar nesse momento vai ser cada vez mais difícil depois;
  • Avalie a dor – Em muitos casos, aumentar o leite materno fica impossível simplesmente porque as mamas ficam muito inchadas e doloridas inicialmente, liberando muito pouco líquido.

Se, no entanto, esse incômodo continua dias depois o melhor a se fazer é se atentar sobre o que está rolando. Qualquer dor que continue inclusive depois da mamada deve ser avaliada a fundo, porque em muitos casos isso faz a diferença entre se ter ou não se ter esse alimento tão precioso;

  • Experimente a livre demanda – A ideia de dar o peito no momento que o bebê pedir incomoda muitas mães, mas é uma das maneiras mais eficientes de aumentar a lactação da mulher.

Quando o tempo entre as mamadas demora muito a dica é utilizar-se de bombas, seja porque a mãe não está disponível, seja porque prefere não aderir à livre demanda.

Isso permite que o corpo compreenda que a produção deve ser mantida no mesmo nível, o que é bom por diversos fatores, já comentados a fundo previamente;

  • Considere mais descanso – Uma mãe exausta não vai produzir bem leite. O mesmo vale para uma mãe ansiosa. O repouso de qualidade é primordial e o cansaço vai atrapalhando a lactação de qualquer mulher, até da mais bem alimentada.

Além disso, amamentar em um ambiente realmente tranquilo e relaxado faz toda a diferença, é necessário colocar. Dar de mamar em um local conturbado não só é complicado, como não funciona bem;

  • Deixe o peito esvaziar nas mamadas – Para aumentar leite materno é importante deixar que o seio esvazie durante o processo de amamentação, para depois oferecer o outro. Se não for assim o organismo não entende que fabricou o suficiente.

Essa é uma forma de dar nutrientes completos e equilibrados para o bebê, sim, mas também é um meio fundamental para educar o corpo e a produção de leite da mulher, que varia sempre;

  • Confie nos remédios e compressas – Nem sempre a fonte vai ser inesgotável, é importante dizer. Formato das mamas, questões hormonais e problemas de saúde e ambientais podem sim prejudicar a produção de leite de uma mãe.

Se isso acontecer apostar em massagens, em compressas com água morna e em remédios que estimulam os níveis de prolactina pode ser o caminho para resolver o problema e facilitar a vida da mulher. Algumas resistem aos medicamentos, mas se os médicos receitarem e se você confiar no especialista resistir não seria inteligente;

  • Leve a hidratação a sério – Quem pensa que se hidratar é importante está certo! Quando se trata de aumentar leite materno é fundamental beber muito líquido, inclusive um a mais do que a mãe já está acostumada a beber. Só assim para manter a produção em alta, mesmo nos momentos mais extremos e mais críticos;
  • Evite a chupeta – Esse é um dos artefatos não recomendados se você quer manter o leite em alta. Isso porque se o bebê não aprende a sugar nos primeiros dias de vida vai ser bem mais complicado depois, e essa complicação pode piorar se ele estiver sugando algo mais que o peito da mãe;
  • Cuidado com a alimentação – Muita gente diz que comendo certos alimentos o leite vai ser mais produzido, mas não existe comprovação científica desses laudos. O que ajuda, de fato, é beber mais água e ter uma dieta equilibrada.

Da mesma forma que não existe comprovação de que determinadas comidas causam mais cólica não existe nada confirmado sobre fazer mais ou menos leite com alimento a, b ou c.

O importante é ingerir uma quantidade relevante de calorias e ter uma dieta rica em proteínas, gorduras, carboidratos e hidratação de qualidade. Isso é o que realmente importa, mais do que uma mãe ficar tensa sobre o que come ou não come, ou sobre o que bebe ou não bebe;

  • Faça o que pode e siga as suas regras – Você vai ver muita regra na internet sobre tempo de mamada, quantidade de vezes ao dia que o bebê deve mamar e por aí vai, mas isso depende de cada mãe e de cada filho.

Não existe um parâmetro único para nada disso, e acreditar que uma mulher deve seguir o que é imposto na internet é uma tolice. Como você pode ler aqui são várias as dicas para melhorar e aumentar leite materno, e essas podem ser levadas a sério, mas no final o que importa é o que cada uma quer fazer, e o que cada neném demanda.

Isso varia demais e o que importa é focar no que é certo para cada família, de verdade e de fato. É necessário ter foco nisso acima de qualquer coisa, porque independentemente do que digam e do que comentem é o casal e seu filho que precisam lidar um com o outro e seguir sobrevivendo.

Caso você ainda tenha pouca produção de leite, uma alternativa viável interessante é a de utilizar produtos que estimulem a produção de leite, e é o que veremos a seguir.

Alimentos Para Aumentar o Leite

Segundo estudos da Fundação de Amamentação Canadense, existem alimentos e ervas medicinais que têm a capacidade de aumentar a produção de leite. Entre eles está o feno grego, que pode fazer efeito em poucos dias. Veja outros alimentos que potencialmente aumentam a abundância de leite:

  • alfafa
  • erva-doce
  • alho
  • gengibre
  • feno grego
  • levedura de cerveja
  • cardo abençoado
  • espirulina

Apesar destas opções serem normalmente seguras, sempre consulte seu médico antes de introduzir modificações em sua dieta. Isso é ainda mais importante quando se está amamentando.

Veja Como Armazenar Leite Materno

Um dos fatores que também é importante para cuidar de um bebê não tem a ver só com a produção de leite materno, mas com a compreensão de leite materno como armazenar. Isso ajuda a cuidar da criança evitando doenças e desobrigando a mãe de ser quem dá peito o tempo todo.

Além disso, esse tipo de conhecimento é importante por questões relacionadas à doação. Afinal, algumas mulheres tem a capacidade de produzir mais leite do que o seu neném precisa, enquanto outras não tem a mesma sorte. Doar pode ser um gesto nobre nesse momento, de conexão entre mulheres e de apoio entre todos em um momento muito complicado.

Saber leite materno como armazenar pode ser aprendido com mais clareza nesse link e nesse link aqui, mas se você quer simplificar veja as dicas que vamos dar abaixo, que são muito boas:

  • Coloque uma touca ou lenço para proteger seu cabelo, lembrando de usar uma máscara para proteger a boca e o nariz. Lave as mãos e braços, além das mamas, mas usando só água. Seque com uma toalha limpa e forre uma mesa;
  • Depois disso a mulher deve usar a bomba como está acostumada para tirar o leite, lembrando que para armazenar o certo é a utilização de recipientes esterilizados;
  • Para congelar o ideal é que o recipiente onde o leite foi posto seja um pouco maior do que o necessário, porque ao ficar gelado ele vai se expandir. O indicado é deixar dois dedos de folga, no máximo. Mais que isso não vai ser preciso;
  • O leite materno congelado dura 15 dias no máximo, então é importante etiquetar, para você poder usar sem ter problemas com seu bebê e para poder doar. Na hora do uso a dica é aquecer, de preferência no banho maria, e isso vai fazer com que o alimento esteja fresco, nutritivo e saboroso para qualquer criança que for consumir;

A Importância Da Doação

Muitas mulheres são resistentes em aceitar doação, ou em doar o leite materno, mas a verdade é que esse ato pode trazer paz para duas mães: para a que recebe e para a que dá! Sem falar que também ajuda uma criança a se desenvolver com mais saúde, que é o que todos nós queremos.

Se tiver vontade de saber mais sobre como doar leite materno clique aqui, e não deixe de seguir todas as dicas (ou de repassá-las) sobre como aumentar a produção, armazenar e congelar esse alimento imperioso para o crescimento dos nenéns! Amamentar é duro, é complexo, é intenso, mas pode dar certo com ajuda e conhecimento! Nunca abra mão disso!

Tags:
Diego Rubel, Psicólogo

CRP 08/13.666. Psicólogo clínico com um longo histórico pessoal de tratamento da dor: tendinite do joelho, síndrome de ATM e, mais recentemente, alguma dor no ombro que ainda não tive a chance de descobrir o que é! Estudante de ioga há muito tempo, recentemente estive pesquisando os mecanismos de alívio da dor e hábitos para uma vida mais saudável e gratificante.

  • 1

Você Também Pode Gostar

1 Comentário

  1. Andrea Cabezon 13 de abril de 2020

    Parabéns pela excelência do texto. A amamentação, para mim, foi uma experiência única que consolidou a minha relação de amor incondicional pela minha filh. ❤️

    Responder

Deixe seu Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *