Pesquisar

Gravidez Maternidade

Parto Normal: Tudo Que Você Precisa Saber

Compartilhe
parto normal Exame pré-natal. Foto: freepik

O parto normal é a melhor opção para a saúde da mãe e do bebê, já que tem riscos muito menores do que uma cesárea. De acordo com dados da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), o índice de cesarianas foi de 84,6% dos partos realizados no Brasil no ano de 2012, um número bastante preocupante. Para colocar este número em perspectiva, em 2017 a Noruega registrou taxa de apenas 16% de cesarianas.

Na maioria das vezes, as cesarianas no Brasil são desnecessárias. É por isso que a ANS faz um trabalho contínuo para reverter esses números.

Neste artigo você vai saber tudo o que precisa sobre parto normal:

  • seus principais detalhes
  • por que ele é mais seguro
  • passos de um parto completo
  • tipos mais comuns

Continue para conferir estes e outros fatos importantes que devem ser levados em conta.

É Mais Seguro

A principal razão para isso é por tratar-se da forma natural de o bebê vir ao mundo. Durante 40 semanas o corpo da mulher se prepara para esse momento: quando o bebê está pronto para nascer, o parto ocorre espontaneamente.

No decorrer do processo, o organismo da mãe auxilia na fisiologia do nascimento, através da ação de hormônios e demais substâncias. Estabelece-se o ritmo das contrações do útero e a produção do leite materno é estimulada. Além disso, o corpo da mulher se recupera mais rápido, há menor risco de infecções e morte.

O organismo do bebê também sofre estímulos para que seus pulmões e seus intestinos estejam prontos para funcionar. Ele consegue respirar mais facilmente, tem seu sistema fisiológico fortalecido e há um risco menor no desenvolvimento de doenças respiratórias.

Quais os Benefícios do Parto Normal?

Este parto traz benefícios tanto para o bebê como para a mãe, diminuindo o risco de haver complicações e morte.

Benefícios Para a Mãe

Entre os benefícios relevantes para a mãe estão:

Recuperação mais rápida

A mulher se recupera mais rápido, podendo se levantar poucas horas após o parto e assim cuidar do bebê. Por outro lado, na cesariana a mulher tem que esperar 10 dias para se movimentar livremente.

É possível escolher a posição para o parto

Diferentemente da cesárea, no parto normal a mãe pode escolher qual a melhor posição para dar a luz, de forma que fique o mais confortável possível. As posições que mais facilitam o nascimento são: em pé, de lado, de cócoras ou de costas em uma banheira com água.

Leite materno é produzido mais cedo

Como as contrações do útero estimulam a produção do leite, a produção do leite ocorre antes da cesariana, em que ela só ocorre através da sucção do bebê.

Vínculo entre mãe e bebê é maior

Pois como durante o trabalho de parto o organismo feminino libera o hormônio ocitocina acaba provocando uma sensação de amor pelo bebê, o que acaba fazendo com que mãe e bebê fiquem mais próximos.

Útero volta ao tamanho normal mais rapidamente

Em 4 horas o útero começa a se contrair novamente até voltar ao normal.

Menor risco de desenvolver trombose

Pois como é um processo fisiológico há um menor risco de formar coágulos que possam causar o problema, diferente da cesárea que é uma cirurgia.

Diminui o risco de infecções

Por não ser uma cirurgia há risco menor de infecções e hemorragias, diferente da cesárea em que pode ocorrer a infecção uterina.

Diminui o risco de morte

O risco de morte da mãe é menor no parto normal, mesmo quando se trata de uma gravidez de gêmeos.

Benefícios Para o Bebê

Entre os benefícios para o bebê estão:

Auxilia na respiração

Como o tórax do bebê é comprimido quando passa pelo canal do parto, acaba eliminando os líquidos acumulados no pulmão, dessa forma auxiliando na respiração.

Diminui o risco de desenvolver doenças respiratórias

Neste parto como o bebê geralmente nasce de 40 semanas, ele já tem maturidade pulmonar. Além disso, ele entra em contato com micro-organismos no canal da vagina, o que ajuda a fortalecer seu sistema imunológico, isso faz com que haja menor risco no desenvolvimento de doenças respiratórias.

Sistema imunológico é fortalecido

Quando passa pelo canal vagina o bebê entra em contato com a flora bacteriana da mãe, o que permite a colonização de micro-organismos importantes para o desenvolvimento do sistema digestivo, metabólico e imunológico.

Menos efeitos colaterais

Trata-se de um procedimento não invasivo, tendo poucas intervenções médicas e por isso há menos efeitos colaterais para o bebê.

Maior vínculo com a mãe

Assim como a mãe o bebê tem um vínculo maior no parto normal, pois como ele já é colocado no colo dela é capaz de reconhecer seu cheiro.

Mais ativo

Devido aos hormônios que são liberados pelo organismo da mãe durante o parto, o bebê fica mais ativo após o nascimento. Dessa forma ele pode até mesmo encontrar o seio materno para a primeira mamada, sendo capaz de se arrastar da barriga da mãe até o peito sozinho.

Mais tranquilo

Pelo bebê sentir o corpo da mãe durante a passagem no canal vaginal a tendência é que ele se acostume melhor ao toque. Isso faz com que ele fique mais calmo quando os médicos ou enfermeiras o pegarem no colo.

Quando a Cesárea é Mais Segura?

Mesmo tendo maiores riscos existem alguns casos em que a cesariana é a opção mais segura.

Isso pode acontecer quando o bebê está em uma posição pélvica, ou seja, ele se encontra sentado ao invés de estar de cabeça para baixo. Nesse caso a opção mais segura é a cesárea.

Quando existe a placenta prévia, centro ou total, que pode ocorrer em mulheres que já passaram pela cesárea, ela fica na entrada do colo do útero, tampando o colo. O que pode causar sangramento durante o parto, por isso se faz necessário a cesariana.

Outros casos em que pode ser preciso realizar cesárea são: se a mulher é hipertensa, tem problemas nos ossos da pélvis ou nos rins. No caso da mulher ter pré-eclâmpsia é escolhido o parto mais rápido, podendo ser o normal, caso seja possível acelerá-lo ou cesárea.

Etapas do Parto Normal

Ele é dividido em três etapas principais: dilatação do colo do útero, nascimento do bebê e expulsão da placenta.

Dilatação do Colo do Útero

Essa etapa é a mais longa do trabalho de parto, pois é nela que o organismo da mulher se prepara para o processo. Geralmente após os nove meses de gestação, quando os hormônios identificam que o bebê está totalmente desenvolvido, o corpo começa o processo de dilatação.

Esse processo se divide em três fases, entre elas:

Fase latente

Nessa etapa as contrações começam, sendo irregulares e com intervalos longos e o colo do útero dilata até três ou quatro centímetros.

Quando as contrações aumentam a frequência de duração, ocorrendo a cada dez ou quinze minutos, chegou o momento de ir para o hospital, pois significa que a mulher entrou em trabalho de parto.

Fase ativa

Nessa fase as contrações são mais rápidas e intensas, ocorrendo a cada dois ou três minutos, podendo durar de 60 a 90 segundos. Pode acontecer da gestante não conseguir falar, por isso é importante controlar a respiração para manter a calma.

Há casos em que as contrações param e as dilatações diminuem de tamanho ou não aumentem. Nesse caso é indicado mudar de posição, ir ao banheiro ou relaxar em um banho de água morna.

Fase de transição

Nessa fase o corpo começa a se dilatar, preparando-se para a expulsão do bebê, por isso é possível o canal vaginal se expandir em até 10 centímetros.

Nascimento do Bebê

Após etapa de dilatação, nessa segunda etapa o útero começa a empurrar o bebê pelo canal de parto e a mulher tem mais força para expulsar o bebê. É comum que ocorra uma pausa entre uma tentativa de expulsão e outra, assim a mãe o bebê podem descansar.

Ao voltarem as contrações, a cabeça do bebê pode ser sentida entre as perna. Mas cada vez que as contrações recuam, a cabeça também recua, é um processo natural do organismo.

Quando o médico diz que o bebê está coroando significa que a parte central do crânio bebê já é visível pela vagina. É normal que nesse momento a mulher sinta ardor na vagina.

Essa sensação passa quando o bebê sai. Caso o períneo não estenda o suficiente para que a criança consiga passar é realizada a episiotomia, que se trata do corte do períneo, para facilitar a saída do bebê e haja menor risco de lacerações.

Quando o bebê começa a coroar o médico poderá pedir para a mulher aumentar ou diminuir a força. Quando é pedido aumento de força, significa que o médico viu que não há risco de lacerações para a mãe.

 Mas se é pedido para diminuir, significa que é para evitar que a passagem rompa mais pele que o necessário.

Ao nascer o bebê está envolto em vernix caseosa, que é uma camada de gordura feita para proteger a pele do bebê e também ajudá-lo a deslizar mais facilmente para fora do canal vaginal.

O ideal é que essa camada permaneça no bebê nos primeiros dias após o nascimento para que ele tenha proteção fora do útero.

Expulsão da Placenta

A última etapa se trata da expulsão da placenta, que ocorre após o nascimento do bebê. Ela é feita de forma espontânea, podendo ser expelida em até trinta minutos após o parto.

Junto a ela, a bolsa de líquido amniótico também é expelida. Se ela não for expulsa de forma espontânea pode ser retirada manualmente ou através de algum instrumento.

É normal que depois do parto a mulher se sinta trêmula devido às mudanças que ocorreu no corpo durante a gestação e que nesse momento deve se desfazer delas em um curto período.

Por isso pode ocorrer de algumas mulheres que tenham pressão baixa ou anemia sofrerem um leve desmaio após o parto. Isso não é grave e acontece devido à tamanha energia que o corpo teve que liberar.

Tipos de Parto Normal

Existem diferentes tipos de parto normal, entre eles:

Parto Humanizado

Esse tipo de parto respeita as vontades e decisões da mulher sobre as intervenções médicas que poderão ser realizadas como anestesia, indução e utilização do fórceps (instrumento em forma de pinça que ajuda a puxar a cabecinha do bebê).

Parto Natural

Nesse parto não há intervenções médicas, sendo realizado da forma mais natural possível sem o uso de anestesia, analgésico ou aplicação de hormônio para estimular as contrações.

São realizados procedimentos naturais para aliviar a dor como massagens, banhos de água quente e mudança de posição.

Parto de Lótus

Nesse tipo de parto o cordão umbilical não é cortado, conectando o bebê à placenta até que se desprenda naturalmente, o que geralmente leva uma semana.

No entanto é comprovado que esperar o cordão parar de pulsar, ou seja, após três minutos do parto já diminui o risco de anemia para o bebê. Períodos maiores não foram confirmados que trazem benefícios.

Parto Domiciliar

Esse parto ocorre em casa podendo ter a presença de uma equipe médica ou não. É necessário ter um acompanhamento, dessa forma a mãe será beneficiada, pois se encontrará em um local seguro em que poderá se sentir mais à vontade.

Parto na Água

Esse tipo de parto pode ocorrer dentro de uma piscina ou banheira com água morna. Ele pode ser realizado no hospital ou em casa, com o acompanhamento de uma equipe especializada.

A água ajuda a aliviar as dores e torna o nascimento mais tranquilo para o bebê, já que o ambiente é parecido com o útero.

Parto Desassistido

Nesse tipo de parto não há supervisão médica ou de algum profissional de saúde. Pode acontecer quando o bebê nasce de forma inesperada ou por decisão da mãe, mas não é recomendado pelos médicos, pois não poderá haver intervenção caso alguma complicação ocorra.

Parto de Cócoras

Esse parto ocorre quando a mãe fica agachada, o que ajuda o períneo abrir mais, assim facilitando a saída do bebê. O parto costuma ser mais rápido, no entanto essa posição pode cansar a mãe, por isso pode ser necessário uma banqueta ou suporte físico do acompanhante.

Dúvidas  

Confira as respostas para algumas dúvidas que você pode ter e que podem ajudar o trabalho de parto a ficar mais confortável para você.

O que Fazer Durante as Contrações?

O principal motivo para que tantas mulheres prefiram a cesariana ao parto normal é devido à dor durante as contrações. No entanto além da dor ser suportável há algumas coisas que você pode fazer para aliviar o desconforto, como:

  • Respirar calmamente, inspirando pelo nariz e expirando pela boca, dessa forma ficará mais tranquila;
  • Mude de posição para ficar mais confortável;
  • Não se reprima se tiver desejo de chorar ou gritar;
  • Relaxe e descanse durante o intervalo entre as contrações;
  • Movimente-se, fazendo pelas caminhadas ou usando uma bola de pilates ou um banquinho de parto para sentar, pois eles ajudam na dilatação;
  • Fazer massagens e tomar banho de água morna ajudam a relaxar a musculatura, diminuir a dor e aumentar a dilatação.

Quais os Primeiros Cuidados Com o Bebê Após o Nascimento?

Caso não haja nenhuma complicação e o bebê já estiver no colo da mãe, o pediatra faz uma avaliação para ver se a movimentação dos músculos, o choro, a cor e a respiração da criança estão normais.

Se ela estiver bem, o cordão umbilical é cortado e então a mãe já pode amamentar a criança. É importante que ela seja amamentada na primeira hora de vida, o que pode reduzir os riscos de morte neonatal.

Por Que Ter um Acompanhante?

A lei nº 11.108, de 7 de abril de 2005, determina que toda mulher tem direito a um acompanhante durante o parto e no pós-parto imediato. Esse acompanhante pode ser o marido, outro familiar, amigo ou a doula, que é uma acompanhante profissional.

Ter uma pessoa de confiança ao seu lado é muito importante, pois ajuda te ajuda a se sentir mais tranquila e segura, fazendo com que a ansiedade e estresse diminuam.

Assim o trabalho de parto pode ser feito de forma mais tranquila com menos riscos de traumas e intervenções médicas.

Por Que Fazer Exercícios Durante a Gestação?

Porque a atividade física melhora o condicionamento da mulher durante o trabalho de parto, permitindo que faça força mais facilmente. Além disso, a mulher também tem melhor consciência corporal e tem uma melhor flexibilidade.

Assim você pode se manter na posição do parto por um período maior sem ter muitas câimbras.

Qual Anestesia é Indicada?

Existem dois tipos de anestesia que podem ser utilizadas:

Peridural

Esse anestésico reduz a dor do trabalho de parto. É aplicado na pele, sobre a coluna lombar, sendo também colocado um cateter perto da medula espinhal para que o médico vá depositando a anestesia pouco a pouco durante o parto.

Com essa anestesia você pode perder a sensação de dor na pelve e nas pernas, mas ainda é possível se movimentar e sentir as contrações.

Raquidiana

Essa anestesia é administrada uma única vez no espaço medular. Através dela a dor some rapidamente, mas o efeito dura pouco tempo. Por isso é uma anestesia mais indicada para a cesárea ou para ser aplicada antes do nascimento do bebê.

Quando é Possível Retomar a Vida Sexual?

Outra preocupação das mães de primeira viagem é se o parto normal alarga o canal vaginal e por isso a vida sexual demora a voltar ao normal. No entanto a musculatura da vagina é elástica e volta ao normal após o nascimento do bebê.

É necessário aguardar 40 dias até voltar a ter relações, para que não haja risco de infecção.

A Circular de Cordão Umbilical é Um Problema?

Dependendo do caso, indica-se a realização de exames para ver como está a saúde do bebê. Caso não haja riscos, principalmente se a circular de cordão for frouxa, ele poderá nascer de parto normal sem problemas.

No entanto se o cordão está muito apertado ou se tem um nó, o ideal para a segurança do bebê é que seja realizada uma cesariana.

Ele é Indicado para Mulheres com Quadris Estreitos?

Sim, pois o importante não é o tamanho do quadril, mas sim da estrutura interna da bacia. Pois pode acontecer da mulher que tem quadris estreitos ter uma bacia mais larga e a mulher com quadris largos ter uma bacia estreita.

Por isso é importante fazer o pré-natal, pois isso é constatado através de exames físicos, em que é avaliada a distância entre um osso e outro.

É Possível ter Parto Normal se o Bebê Está na Posição Pélvica?

Depende, pois pode ser realizada a versão cefálica externa, que é uma manobra para virar o bebê dentro do útero. No entanto ela não é indicada em todos os casos, por isso é necessário que seja feita uma avaliação médica para constatar qual a melhor solução.

Mas geralmente nesses casos é escolhida a cesárea para que não haja riscos para o bebê.

E se Não Há Dilatação é Possível que o Parto Seja Normal?

O que acontece na verdade é que a falta de dilatação se deve a impaciência de esperar que as contrações atuem no colo do útero. Assim a mulher nem entrou no trabalho de parto ainda e já espera que ocorra a dilatação.

Caso o processo esteja muito lento os médicos utilizam soro e medicações, mas não usam isso frequentemente. Por isso é necessário ter paciência e esperar.

E se o Bebê é Muito Grande é Possível Ter o Parto Normal?

Depende, pois isso vai variar de acordo com o peso da criança e da estrutura da mãe. No entanto no caso de bebês acima de quatro quilos e meio o risco é maior se nascer por cesariana.

Por isso é importante conversar com o médico e fazer todo o pré-natal. A bacia da pelve muito estreita é normalmente uma situação em que se recomenda uma cesárea.

Quanto Tempo Demora?

Geralmente a duração é de 8 a 18 horas. Se a mãe estiver tendo seu primeiro parto a tendência é que demore mais, pois todo o processo é novidade para o corpo, que está se preparando pela primeira vez para isso.

Mas se a mulher já tiver tido outros partos normais o processo é mais rápido, podendo durar de 6 a 8 horas.

Como você viu neste artigo, o parto normal realmente é mais seguro, sendo uma boa escolha para a mãe e o bebê. E mesmo que haja dor ela pode ser contornada através dos métodos que falamos, por isso não há motivo para temê-lo.

Tags:
Diego Molina

Psicólogo clínico com um longo histórico pessoal de tratamento da dor: tendinite do joelho, síndrome de ATM e, mais recentemente, alguma dor no ombro que ainda não tive a chance de descobrir o que é! Estudante de ioga há muito tempo, recentemente estive pesquisando os mecanismos de alívio da dor e hábitos para uma vida mais saudável e gratificante.

  • 1

Você Também Pode Gostar

Deixe seu Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *